sábado, 29 de agosto de 2009

Impressionável

Impressionante. Era a palavra que rondava havia horas a cabeça do cara que, recostado no velho sofá, abria uma cerveja gelada pra fugir do calor do verão das suas férias.
Naquela madrugada quente nada acontecia, nada ali dentro do seu pequeno apartamento quarto/sala, talvez algo no bar da esquina. Nada também na tv, ligada no mudo pra ocultar o chiado da ausência de sinal que caia sempre após as duas da manhã.
Encarava seus tênis rotos, imundos, esfarrapados. O velho Guidis que ganhou da avó.
O álcool fazendo efeito lhe trazia de volta aos tempos em que em dois minutos acordado num sábado era o suficiente para arrumar compromisso nada sério, como uma conversa no bar, visitas à um cabaré com os amigos ou quem sabe companhia pra noite toda. Mas eram apenas velhos tempos, afinal, aquela madrugada de domingo sozinho no sofá e cercado de papeis que lhe remetiam à segunda feira nada se pareciam com as de um ano atrás, nas suas ultimas férias sem emprego.
Sentiu saudade. Não era da família, nem dos amigos, nem dele mesmo naqueles anos que antecederam a formatura. Talvez da moça da farmácia que lhe atendeu tão bem que... Também não era carência. Pensou em ligar pra alguém, preferiu não incomodar. Um sorriso misteriosamente insistia em grudar no seu rosto, tanta felicidade que ele teve vontade de dividir com alguém. Quis ser egoísta dessa vez.
Pensou rapidamente nos problemas normais de quem se tornou independente há tão pouco tempo, mas isso não lhe deprimia, sentia-se tão bem que só sentia-se angustiado ao pensar em acordar com um humor tão diferente capaz de fazer uma grande besteira.
A tv voltava ao ar. A cerveja quente e ele com os olhos abertos, querendo não dormir, o sol invadia o cômodo e a persiana o incomodava lhe fazendo ficar com o corpo listrado.
Desprendeu as costas do encosto do sofá, foi ao banheiro prometendo nunca mais dormir, queria ter essa paz pra sempre, mas caiu no banheiro, descansou um sono pesado, tão satisfeito prometeu nunca mais acordar. Era alguém impressionável.

2 comentários:

noelle disse...

perfeitamente cabivel para esses tempos modernos (e tão nossos) de ócio.


beijos.

torradastostadas disse...

gostei muito rubem, e me remeteu algo bem auto-biográfico.